• Marcia Morais

Alfaiataria: saiba tudo sobre esse conceito e estilo

Não é preciso acompanhar tendências de moda para já ter ouvido falar no estilo alfaiataria. Se você já procurou uma peça mais estilosa para compor seu visual, os termos “tecido de alfaiataria” ou “modelo alfaiataria” certamente cruzaram com você em algum momento.

Mas quais são suas características, afinal? Bem, a alfaiataria pode ser definida como um um tipo de vestimenta fina, que está ficando cada vez mais popular entre o público feminino. É um conceito mais artesanal, com peças mais voltadas para a exclusividade e para quem busca fortalecer o seu estilo pessoal.

Se você já ouviu muito esse termo por aí, mas não sabe se a alfaiataria é para você ou se vale a pena investir nela, aqui vamos contar tudo que você precisa saber para acabar com essas dúvidas. Confira!

História da alfaiataria

Se você associa alfaiataria a ternos, não está errada! O termo teve origem há muito tempo atrás, ainda na Idade Média. Naquela época, as roupas eram todas feitas sob medida, tanto para homens, quanto para as mulheres. A diferença é que os alfaiates se encarregaram dos ternos dos homens e as costureiras ou modelistas, dos vestidos das mulheres.

Ou seja, durante muito tempo, a alfaiataria foi um estilo exclusivamente masculino, que não visava apenas confeccionar uma peça que se encaixasse perfeitamente no corpo, mas que valorizasse quem a estivesse usando. Em outras palavras, a alfaiataria remete à elegância e à sofisticação.

Felizmente, hoje as mulheres também já usufruem desse estilo e, graças à ele, conseguem construir produções incrivelmente elegantes e cheias de personalidade, pois são peças muito versáteis. Basta usar a imaginação e fazer combinações incríveis.

Características da alfaiataria

Hoje em dia, sabemos que a confecção de peças sob medida é mais solicitada apenas em ocasiões especiais e pontuais, como festas de formatura ou casamentos. Porém, a alfaiataria ainda é um estilo mais exclusivo, com marcas que se dedicam exclusivamente a produzir peças com esse tecido e corte.

Todo esse cuidado visa garantir que os modelos mantenham as principais características do conceito, que são:

Tecidos estruturados: os tecidos devem contribuir para uma peça ajustada ao corpo, sendo assim os mais maleáveis não fazem parte desse tipo de confecção;

Acabamento impecável: as costuras devem ter um acabamento perfeito, de forma a ficarem para dentro do tecido e dando a impressão de serem invisíveis;

Caimento perfeito: assim como o acabamento, as medidas são todas milimetricamente harmonizadas para um caimento maravilhoso;

Padronagens clássicas: ainda que não seja uma regra, as padronagens de risca de giz, xadrez e cores neutras são predominantes na maioria das peças de alfaiataria e são a marca principal do estilo;

Detalhes: alguns detalhes também são característicos da alfaiataria, como barra italiana, bolso faca e abotoadura dupla.

Estilo para todas as ocasiões

Muitas pessoas associam a alfaiataria a um conceito pomposo demais e que não serve para o dia a dia. Mas isso é um grande equívoco, pois esse é um dos estilos mais versáteis que você pode incluir no seu guarda-roupa.

Se você é uma fashionista de carteirinha, com certeza sabe que é sempre possível fazer combinações incríveis com um blazer ou com uma calça do tipo alfaiataria, mesmo com uma camiseta de malha e tênis.

Da mesma forma, se você é mais básica e prefere investir em peças-chave que dão um toque chic a qualquer ocasião, essas opções também são coringa e vão cair como uma luva para você.

Em outras palavras, as peças de alfaiataria acompanham bem desde o salto alto até o tênis, em dias frios ou quentes, para o trabalho, para curtir a noite com as amigas ou até ir a um evento mais sofisticado. Incrível, não?

Sem falar que são peças produzidas artesanalmente, o que significa mais qualidade e durabilidade. Resumindo: vale muito o investimento!

Veja também: Dicas de acessórios perfeitos para repaginar seus looks

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

O conceito de moda e a ideia de “estar na moda” foram, durante muito tempo, unicamente sinônimo de glamour, padrões estéticos e privilégios. Porém, atualmente, os debates sobre o papel da moda na soci